Normas elaboradas no âmbito do ONS-INEGI e já editadas pelo IPQ

Versões portuguesas de Normas europeias (NP EN ISO) e internacionais (NP ISO) aprovadas pela Comissão Técnica CT 1 – “Desenho Técnico”

Nota: A ordenação dos documentos normativos a seguir indicados está de acordo com a Classificação internacional para as normas (ICS - International Classification for Standards) desenvolvida pela ISO.

IDT – Idêntica: a Norma portuguesa tem conteúdo técnico e apresentação semelhantes aos do documento normativo referido.

Símbolos gráficos (ICS: 01.080)

NP EN ISO 3952-1:2011 (Ed. 2)
Esquemas cinemáticos. Símbolos gráficos. Parte 1 (ISO 3952-1:1981 incluindo Emenda 1:2002). Correspondência: EN ISO 3952-1:1994 + A1:2004 IDT.
NP EN ISO 3952-2:2005 (Ed. 1)
Esquemas cinemáticos. Símbolos gráficos. Parte 2 (ISO 3952-2:1981). Correspondência: EN ISO 3952-2:1994 IDT.
NP EN ISO 3952-3:2005 (Ed. 1)
Esquemas cinemáticos. Símbolos gráficos. Parte 3 (ISO 3952-3:1979). Correspondência: EN ISO 3952-3:1994 IDT.
NP EN ISO 3952-4:2002 (Ed. 1)
Esquemas cinemáticos. Símbolos gráficos. Parte 4 (ISO 3952-4:1984). Correspondência: EN ISO 3952-4:1984 IDT
NP ISO 14617-1:2012 (Ed. 2)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 1: Informação geral e índices. Correspondência: ISO 14617-1:2005 IDT.
NP ISO 14617-10:2012 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 10: Conversores para transmissões hidráulicas e pneumáticas. Correspondência: ISO 14617-10:2002 IDT.
NP ISO 14617-11:2012 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 11: Dispositivos para transferência de calor e motores térmicos. Correspondência: ISO 14617-11:2002 IDT.
NP ISO 14617-12:2012 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 12: Dispositivos de separação, purificação e mistura. Correspondência: ISO 14617-12:2002 IDT.
NP ISO 14617-13:2012 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 13: Dispositivos para transformação de materiais. Correspondência: ISO 14617-13:2004 IDT.
NP ISO 14617-14:2012 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 14: Dispositivos para transporte e movimentação de materiais. Correspondência: ISO 14617-14:2004 IDT.
NP ISO 14617-15:2012 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 15: Esquemas de instalação e mapas de rede. Correspondência: ISO 14617-15:2002 IDT.
NP ISO 14617-2:2008 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 2: Símbolos de aplicação geral. Correspondência: ISO 14617-2:2002 IDT.
NP ISO 14617-3:2008 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 3: Conexões e dispositivos associados. Correspondência: ISO 14617-3:2002 IDT.
NP ISO 14617-4:2011 (Ed. 2)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 4: Actuadores e dispositivos associados. Correspondência: ISO 14617-4:2002 IDT.
NP ISO 14617-5:2008 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 5: Dispositivos de medição e controlo. Correspondência: ISO 14617-5:2002 IDT.
NP ISO 14617-6:2008 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 6: Funções de medição e controlo. Correspondência: ISO 14617-6:2002 IDT.
NP ISO 14617-7:2005 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 7: Componentes mecânicos de base. Correspondência: ISO 14617-7:2002 IDT.
NP ISO 14617-8:2008 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 8: Válvulas e registos. Correspondência: ISO 14617-8:2002 IDT.
NP ISO 14617-9:2008 (Ed. 1)
Símbolos gráficos para esquemas. Parte 9: Bombas, compressores e ventiladores. Correspondência: ISO 14617-9:2002 IDT.
NP ISO 3511-1:2005 (Ed. 1)
Funções e instrumentação para a medição e controlo de processos industriais. Representação simbólica. Parte 1: Requisitos de base. Correspondência: ISO 3511-1:1977 IDT.
NP ISO 3511-2:2011 (Ed. 2)
Funções e instrumentação para a medição e controlo de processos industriais. Representação simbólica. Parte 2: Extensão dos requisitos de base. Correspondência: ISO 3511-2:1984
NP ISO 3511-3:2011 (Ed. 2)
Funções e instrumentação para a medição e controlo de processos industriais. Representação simbólica. Parte 3: Símbolos detalhados para esquemas de interligação de instrumentos. Correspondência: ISO 3511-3:1984 IDT.
NP ISO 3511-4:2011 (Ed. 2)
Funções e instrumentação para a medição e controlo de processos industriais. Representação simbólica. Parte 4: Símbolos de base para funções de computador de processo, de interface e de indicação/controlo partilhadas. Correspondência: ISO 3511-4:1985 IDT.

Desenhos técnicos em geral (ICS: 01.100.01)

NP EN ISO 128-20:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 20: Convenções de base para as linhas (ISO 128-20:1996). Correspondência: EN ISO 128-20:2001 IDT.
NP EN ISO 128-21:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 21: Preparação de linhas por sistemas de CAD (ISO 128-21:1997). Correspondência: EN ISO 128-21:2001 IDT.
NP EN ISO 3098-0:2011 (Ed. 2)
Documentação técnica de produtos. Escrita. Parte 0: Especificações gerais (ISO 3098-0:1997). Correspondência: EN ISO 3098-0:1997 IDT.
NP EN ISO 3098-2:2012 (Ed. 2)
Documentação técnica de produtos. Escrita. Parte 2: Alfabeto latino, algarismos e sinais (ISO 3098-2:2000). Correspondência: EN ISO 3098-2:2000 IDT.
NP EN ISO 3098-3:2012 (Ed. 2)
Documentação técnica de produtos. Escrita. Parte 3: Alfabeto grego (ISO 3098-3:2000). Correspondência: EN ISO 3098-3:2000 IDT.
NP EN ISO 3098-4:2011 (Ed. 2)
Documentação técnica de produtos. Escrita. Parte 4: Sinais diacríticos e sinais particulares do alfabeto latino (ISO 3098-4:2000). Correspondência: EN ISO 3098-4:2000 IDT.
NP EN ISO 3098-5:2012 (Ed. 2)
Documentação técnica de produtos. Escrita. Parte 5: Escrita em aplicações de desenho assistido por computador (CAD) do alfabeto latino, de algarismos e de sinais (ISO 3098-5:1997). Correspondência: EN ISO 3098-5:1997 IDT.
NP EN ISO 3098-6:2012 (Ed. 2)
Documentação técnica de produtos. Escrita. Parte 6: Alfabeto cirílico (ISO 3098-6:2000). Correspondência: EN ISO 3098-6:2000 IDT.
NP EN ISO 5455:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Escalas (ISO 5455:1979). Correspondência: EN ISO 5455:1994 IDT.
NP EN ISO 5456-1:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Métodos de projecção. Parte 1: Sinopse (ISO 5456-1:1996). Correspondência: EN ISO 5456-1:1999 IDT.
NP EN ISO 5456-2:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Métodos de projecção. Parte 2: Representações ortográficas (ISO 5456-2:1996). Correspondência: EN ISO 5456-2:1999 IDT.
NP EN ISO 5456-3:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Métodos de projeção. Parte 3: Representações axonométricas (ISO 5456-3:1996). Correspondência: EN ISO 5456-3:1999 IDT.
NP EN ISO 5456-4:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Métodos de projeção. Parte 4: Projeção central (ISO 5456-4:1996). Correspondência: EN ISO 5456-4:2001 IDT.
NP EN ISO 5457:2011 (Ed. 2)
Documentação técnica de produtos. Formatos e apresentação dos elementos gráficos das folhas de desenho (ISO 5457:1999 incluindo Emenda 1:2010). Correspondência: EN ISO 5457:1999 + A1:2010 IDT.
NP EN ISO 6428:2005 (Ed. 1)
Desenhos técnicos. Requisitos para microfilmagem (ISO 6428:1982). Correspondência: EN ISO 6428:1999 IDT.
NP ISO 10209-1:2002 (Ed. 1)
Documentação técnica de produtos - Vocabulário. Parte 1: Termos relativos aos desenhos técnicos: generalidades e tipos de desenhos (ISO 10209-1:1992 IDT).
NP ISO 128-1:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 1: Introdução e índice (ISO 128-1:2003 IDT).
NP ISO 128-22:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 22: Convenções de base e aplicações para as linhas de indicação e as linhas de referência. Correspondência: ISO 128-22:1999 IDT.
NP ISO 128-30:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 30: Convenções de base para as vistas. Correspondência: ISO 128-30:2001 IDT.
NP ISO 128-40:2004 (Ed. 1)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 40: Convenções de base para os cortes e as secções (ISO 128-40:2001 IDT).
NP ISO 128-50:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 50: Convenções de base para a representação de áreas em cortes e secções. Correspondência: ISO 128-50:2001 IDT.
NP ISO 129-1:2007 (Ed. 1)
Desenhos técnicos. Indicação de cotas e tolerâncias. Parte 1: Princípios gerais. Correspondência: ISO 129-1:2004 IDT.

Desenhos de engenharia mecânica (ICS: 01.100.20)

DNP ISO/TS 128-71:2012 (Ed. 1)
Documentação técnica de produtos (TPD). Princípios gerais de representação. Parte 71: Representação simplificada para desenhos de engenharia mecânica. Correspondência: ISO/TS 128-71:2010 IDT.
NP EN ISO 15785:2005 (Ed. 1)
Desenhos técnicos. Representação simbólica e indicação de juntas coladas, dobradas e prensadas (ISO 15785:2002). Correspondência: EN ISO 15785:2002 IDT.
NP EN ISO 1660:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Cotagem e toleranciamento de perfis (ISO 1660:1987). Correspondência: EN ISO 1660:1995 IDT.
NP EN ISO 2162-1:2012 (Ed. 2)
Documentação técnica de produtos. Molas. Parte 1: Representação simplificada (ISO 2162-1:1993). Correspondência: EN ISO 2162-1:1996 IDT.
NP EN ISO 2162-2:2011 (Ed. 2)
Documentação técnica de produtos. Molas. Parte 2: Apresentação de dados técnicos de molas de compressão helicoidais cilíndricas (ISO 2162-2:1993). Correspondência: EN ISO 2162-2:1996 IDT.
NP EN ISO 2203:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Representação convencional de engrenagens (ISO 2203:1997). Correspondência: EN ISO 2203:1997 IDT.
NP EN ISO 26909:2012 (Ed. 1)
Molas. Vocabulário (ISO 26909:2009). Correspondência: EN ISO 26909:2010 IDT.
NP EN ISO 5261:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Representação simplificada de barras e de perfis (ISO 5261:1995). Correspondência: EN ISO 5261:1999 IDT.
NP EN ISO 5845-1:2005 (Ed. 1)
Desenhos técnicos. Representação simplificada de ligações de peças por meio de elementos de fixação. Parte 1: Princípios gerais (ISO 5845-1:1995). Correspondência: EN ISO 5845-1:1999 IDT.
NP EN ISO 6410-1:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Roscas e peças roscadas. Parte 1: Convenções gerais (ISO 6410-1:1993). Correspondência: EN ISO 6410-1:1996 IDT.
NP EN ISO 6410-2:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Roscas e peças roscadas. Parte 2: Implantes roscados (ISO 6410-2:1993). Correspondência: EN ISO 6410-2:1996 IDT.
NP EN ISO 6410-3:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Roscas e peças roscadas. Parte 3: Representação simplificada (ISO 6410-3:1993). Correspondência: EN ISO 6410-3:1996 IDT.
NP EN ISO 6411:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Representação simplificada de furos de centragem (ISO 6411:1982). Correspondência: EN ISO 6411:1997 IDT.
NP EN ISO 6413:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Representação de elementos estriados (ISO 6413:1988). Correspondência: EN ISO 6413:1994 IDT.
NP EN ISO 7083:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Símbolos para toleranciamento geométrico. Proporções e dimensões (ISO 7083:1983). Correspondência: EN ISO 7083:1994 IDT.
NP EN ISO 8826-1:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Rolamentos. Parte 1: Representação simplificada geral (ISO 8826-1:1989). Correspondência: EN ISO 8826-1:1995 IDT.
NP EN ISO 8826-2:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Rolamentos. Parte 2: Representação simplificada particular (ISO 8826-2:1994). Correspondência: EN ISO 8826-2:1997 IDT.
NP EN ISO 9222-1:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Juntas de vedação para aplicação dinâmica. Parte 1: Representação simplificada geral (ISO 9222-1:1989). Correspondência: EN ISO 9222-1:1995 IDT.
NP EN ISO 9222-2:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Juntas de vedação para aplicação dinâmica. Parte 2: Representação simplificada particular (ISO 9222-2:1989). Correspondência: EN ISO 9222-2:1994 IDT.
NP ISO 128-24:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 24: Linhas utilizadas em desenhos de engenharia mecânica. Correspondência: ISO 128-24:1999 IDT.
NP ISO 128-25:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 25: Linhas utilizadas em desenhos de construção naval. Correspondência: ISO 128-25:1999 IDT.
NP ISO 128-34:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 34: Vistas em desenhos de engenharia mecânica. Correspondência: ISO 128-34:2001 IDT.
NP ISO 128-44:2004 (Ed. 1)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 44: Cortes e secções em desenhos de engenharia mecânica (ISO 128-44:2001 IDT).
NP ISO 13715:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Arestas de forma não definida. Vocabulário e indicações (ISO 13715:2000). Correspondência: ISO 13715:2000 IDT.
NP ISO 15786:2012 (Ed. 1)
Desenhos técnicos. Representação e cotagem simplificadas de furos. Correspondência: ISO 15786:2008 IDT.
NP ISO 15787:2005 (Ed. 1)
Documentação técnica de produtos. Peças ferrosas tratadas termicamente. Representação e indicações. Correspondência: EN ISO 15787:2001 IDT.

Desenhos de construção (incluindo desenhos de engenharia civil) (ICS: 01.100.30)

NP EN ISO 11091:2011 (Ed. 2)
Desenhos de construção. Prática em matéria de desenhos de paisagismo (ISO 11091:1994). Correspondência: EN ISO 11091:1999 IDT.
NP EN ISO 3766:2011 (Ed. 2)
Desenhos de construção. Representação simplificada de armaduras para betão armado (ISO 3766:2003). Correspondência: EN ISO 3766:2003 + AC:2004 IDT.
NP EN ISO 4066:2002 (Ed. 1)
Desenhos de construção. Mapas de armaduras para betão armado (ISO 4066:1994). Correspondência: EN ISO 4066:1999 IDT.
NP EN ISO 4157-1:2011 (Ed. 2)
Desenhos de construção. Sistemas de designação. Parte 1: Edifícios e partes de edifícios (ISO 4157-1:1998). Correspondência: EN ISO 4157-1:1998 IDT.
NP EN ISO 4157-2:2012 (Ed. 2)
Desenhos de construção. Sistemas de designação. Parte 2: Nomes e números de compartimentos (ISO 4157-2:1998). Correspondência: EN ISO 4157-2:1998 IDT.
NP EN ISO 4157-3:2012 (Ed. 2)
Desenhos de construção. Sistemas de designação. Parte 3: Identificadores dos compartimentos (ISO 4157-3:1998). Correspondência: EN ISO 4157-3:1998 IDT.
NP EN ISO 4172:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Desenhos de construção. Desenhos de montagem de estruturas prefabricadas (ISO 4172:1991). Correspondência: EN ISO 4172:1996 IDT.
NP EN ISO 6284:2012 (Ed. 2)
Desenhos de construção. Indicação dos desvios limites (ISO 6284:1996). Correspondência: EN ISO 6284:1999 IDT.
NP EN ISO 7437:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Desenhos de construção. Regras gerais para a elaboração de desenhos de execução para componentes estruturais prefabricados (ISO 7437:1990). Correspondência: EN ISO 7437:1996 IDT.
NP EN ISO 7518:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Desenhos de construção. Representação simplificada de demolição e de reconstrução (ISO 7518:1983). Correspondência: EN ISO 7518:1999 IDT.
NP EN ISO 7519:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Desenhos de construção. Princípios gerais de representação para desenhos de conjunto e de montagem (ISO 7519:1991). Correspondência: EN ISO 7519:1996 IDT.
NP EN ISO 8560:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Desenhos de construção. Representação de dimensões, linhas e malhas modulares (ISO 8560:1986). Correspondência: EN ISO 8560:1999 IDT.
NP EN ISO 9431:2005 (Ed. 1)
Desenhos de construção. Zonas para desenho e para texto, e legendas em folhas de desenho (ISO 9431:1990). Correspondência: EN ISO 9431:1999 IDT.
NP ISO 10209-4:2005 (Ed. 1)
Documentação técnica de produtos. Vocabulário. Parte 4: Termos relativos à documentação de construção. Correspondência: ISO 10209-4:1999 IDT.
NP ISO 128-23:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Princípios gerais de representação. Parte 23: Linhas utilizadas na documentação de construção e de engenharia civil. Correspondência: ISO 128-23:1999 IDT.
NP ISO 4067-1:2002 (Ed. 1)
Desenhos técnicos - Instalações. Parte 1: Símbolos gráficos para canalização, aquecimento, ventilação e ar-condicionado (ISO 4067-1:1984 IDT).
NP ISO 4067-2:2005 (Ed. 1)
Desenhos técnicos - Instalações. Parte 2: Representação simplificada de aparelhos sanitários. Correspondência: ISO 4067-2:1980 IDT.
NP ISO 8048:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Desenhos de construção. Representação de vistas, secções e cortes. Correspondência: ISO 8948:1994 IDT.

Outras normas relativas aos desenhos técnicos (ICS: 01.100.99)

NP EN ISO 6412-1:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Representação simplificada de tubagens. Parte 1: Regras gerais e representação ortogonal (ISO 6412-1:1989). Correspondência: EN ISO 6412-1:1994 IDT.
NP EN ISO 6412-2:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Representação simplificada de tubagens. Parte 2: Projecção isométrica (ISO 6412-2:1989). Correspondência: EN ISO 6412-2:1994 IDT.
NP EN ISO 6412-3:2012 (Ed. 2)
Desenhos técnicos. Representação simplificada de tubagens. Parte 3: Acessórios para sistemas de ventilação e de drenagem (ISO 6412-3:1993). Correspondência: EN ISO 6412-3:1996 IDT.
NP EN ISO 6414:2011 (Ed. 2)
Desenhos técnicos de vidraria (ISO 6414:1982). Correspondência: EN ISO 6414:1994 IDT.

Documentação técnica de produtos (ICS: 01.110)

DNP ISO/TR 13567-3:2011 (Ed. 1)
Documentação técnica de produtos. Organização e designação de camadas (layers) em CAD. Parte 3: Aplicação da ISO 13567-1 e da ISO 13567-2. Correspondência: ISO/TR 13567-3:1999 IDT.
NP 4442:2005 (Ed. 1)
Documentação técnica de produtos. Metadados para a documentação de construção. Correspondência: ISO/TR 19033:2000 IDT.
NP EN 81714-2:2013 (Ed. 1)
Concepção de símbolos gráficos para utilização em documentação técnica de produtos. Parte 2: Especificação para símbolos gráficos numa forma adaptada ao computador, incluindo símbolos gráficos para uma biblioteca de referência, e requisitos para o seu intercâmbio (IEC 81714-2:2006). Correspondência: EN 81714-2:2006 IDT.
NP EN 81714-3:2007 (Ed. 1)
Concepção de símbolos gráficos para utilização em documentação técnica de produtos. Parte 3: Classificação de nós de ligação, redes e sua codificação (IEC 81714-3:1998). Correspondência: EN 81714-3:2001 IDT.
NP EN 82045-1:2011 (Ed. 2)
Gestão de documentos. Parte 1: Princípios e métodos (IEC 82045-1:2001). Correspondência: EN 82045-1:2001 IDT.
NP EN ISO 13567-1:2002 (Ed. 1)
Documentação técnica de produtos - Organização e designação de camadas ("layers") em CAD. Parte 1: Visão geral e princípios (EN ISO 13567-1:2002 IDT).
NP EN ISO 13567-2:2011 (Ed. 2)
Documentação técnica de produtos. Organização e designação de camadas ("layers") em CAD. Parte 2: Conceitos, formatos e códigos utilizados na documentação de construção (ISO 13567-2:1998). Correspondência: EN ISO 13567-2:2002 IDT.
NP EN ISO 7200:2008 (Ed. 1)
Documentação técnica de produtos. Campos de dados em legendas e cabeçalhos de documentos (ISO 7200:2004). Correspondência: EN ISO 7200:2004 IDT.
NP EN ISO 81714-1:2012 (Ed. 2)
Conceção de símbolos gráficos para utilização em documentação técnica de produtos. Parte 1: Regras de base (ISO 81714-1:2010). Correspondência: EN ISO 81714-1:2010 IDT.
NP IEC 81714-3:2012 (Ed. 1)
Concepção de símbolos gráficos para utilização em documentação técnica de produtos. Parte 3: Classificação de nós de conexão, redes e sua codificação. Correspondência: IEC 81714-3:2004 IDT.
NP ISO 11005:2012 (Ed. 1)
Documentação técnica de produtos. Utilização de documentos principais. Correspondência: ISO 11005:2010 IDT.
NP ISO 15226:2011 (Ed. 2)
Documentação técnica de produtos. Modelos de ciclo de vida e afectação de documentos. Correspondência: ISO 15226:1999 IDT.
NP ISO 15519-1:2012 (Ed. 1)
Especificações para esquemas da indústria de processo. Parte 1: Regras gerais. Correspondência: ISO 15519:2010 IDT.
NP ISO 16016:2005 (Ed. 1)
Documentação técnica de produtos. Menções de protecção utilizadas para documentos e produtos cujo uso é reservado. Correspondência: EN ISO 16016:2002 IDT.
NP ISO 29845:2012 (Ed. 1)
Documentação técnica de produtos. Tipos de documentos. Correspondência: ISO 29845:2011 IDT.


Versões portuguesas de Normas europeias (NP EN ISO) e internacionais (NP ISO) aprovadas pela Comissão Técnica CT 9 – “Elementos de ligação mecânicos”

Nota: A ordenação dos documentos normativos a seguir indicados está de acordo com a Classificação internacional para as normas (ICS - International Classification for Standards) desenvolvida pela ISO.

IDT – Idêntica: a Norma portuguesa tem conteúdo técnico e apresentação semelhantes aos do documento normativo referido.

Roscas (ICS: 21.040)

NP ISO 1501:2013 (Ed. 1)
Roscas miniatura ISO. Correspondência: ISO 1501:2009 IDT.
NP ISO 261:2008 (Ed. 1)
Roscas métricas ISO para usos gerais. Plano geral. Correspondência: ISO 261:1998 IDT.
NP ISO 262:2008 (Ed. 1)
Roscas métricas ISO para usos gerais. Tamanhos escolhidos para parafusos e porcas. Correspondência: ISO 262:1998 IDT.
NP ISO 2901:2013 (Ed. 1)
Roscas métricas trapezoidais ISO. Perfil de base e perfis de máximo de matéria. Correspondência: ISO 2901:1993 IDT.
NP ISO 2902:2013 (Ed. 1)
Roscas métricas trapezoidais ISO. Plano geral. Correspondência: ISO 2902:1977 IDT.
NP ISO 2903:2013 (Ed. 1)
Roscas métricas trapezoidais ISO. Tolerâncias. Correspondência: ISO 2903:1993 IDT.
NP ISO 2904:2013 (Ed. 1)
Roscas métricas trapezoidais ISO. Dimensões de base. Correspondência: ISO 2904:1977 IDT.
NP ISO 5408:2013 (Ed. 1)
Roscas. Vocabulário. Correspondência: ISO 5408:2009 IDT.
NP ISO 68-1:2007 (Ed. 1)
Roscas ISO para usos gerais. Perfil de base. Parte : Roscas métricas. Correspondência: ISO 68-1:1998 IDT.
NP ISO 68-2:2007 (Ed. 1)
Roscas ISO para usos gerais. Perfil de base. Parte 2: Roscas em polegadas. Correspondência: ISO 68-2:1998 IDT.
NP ISO 724:2008 (Ed. 1)
Roscas métricas ISO para usos gerais. Dimensões de base. Correspondência: ISO 724:1993 IDT.
NP ISO 965-1:2008 (Ed. 1)
Roscas métricas ISO para usos gerais. Tolerâncias. Parte 1: Princípios e dados de base. Correspondência: ISO 965-1:1998 IDT.
NP ISO 965-2:2008 (Ed. 1)
Roscas métricas ISO para usos gerais. Tolerâncias. Parte 1: Princípios e dados de base. Correspondência: ISO 965-2:1998 IDT.
NP ISO 965-3:2008 (Ed. 1)
Roscas métricas ISO para usos gerais. Tolerâncias. Parte 3: Desvios para roscas de construção. Correspondência: ISO 965-3:1998 IDT.
NP ISO 965-4:2008 (Ed. 1)
Roscas métricas ISO para usos gerais. Tolerâncias. Parte 4: Dimensões limites para roscas exteriores galvanizadas a quente, para acoplamentos com roscas interiores com posição de tolerância H ou G após galvanização. Correspondência: ISO 965-4:1998 IDT.
NP ISO 965-5:2008 (Ed. 1)
Roscas métricas ISO para usos gerais. Tolerâncias. Parte 5: Dimensões limites para roscas interiores para acoplamentos com roscas exteriores galvanizadas a quente com o temanho máximo para a posição de tolerância h antes da galvanização. Correspondência: ISO 965-5:1998 IDT.

Elementos de fixação em geral (ICS: 21.060.01)

NP EN 20273:2013 (Ed. 1)
Elementos de fixação. Furos de passagem para parafusos (ISO 273:1979). Correspondência: EN 20273:1991 IDT.
NP EN ISO 10666:2013 (Ed. 1)
Parafusos autoperfurantes e auto-roscantes. Propriedades mecânicas e funcionais (ISO 10666:1999). Correspondência: EN ISO 10666:1999 IDT.
NP EN ISO 10669:2013 (Ed. 1)
Anilhas planas para parafusos auto-roscantes com anilha cativa. Séries normal e larga. Grau A (ISO 10669:1999). Correspondência: EN ISO 10669:1999 IDT.
NP EN ISO 10684:2013 (Ed. 1)
Elementos de fixação. Revestimentos por galvanização a quente (ISO 10684:2004 + Cor 1:2008). Correspondência: EN ISO 10684:2004 + AC:2009 IDT.
NP EN ISO 15480:2013 (Ed. 1)
Parafusos autoperfurantes e auto-roscantes de cabeça hexagonal com aba (ISO 15480:1999). Correspondência: EN ISO 15480:1999 IDT.
NP EN ISO 16048:2013 (Ed. 1)
Apassivação dos elementos de fixação em aço inoxidável resistente à corrosão (ISO 16048:2003). Correspondência: EN ISO 16048:2003 IDT.
NP EN ISO 16426:2013 (Ed. 1)
Elementos de fixação. Sistema de garantia da qualidade (ISO 16426:2002). Correspondência: EN ISO 16426:2002 IDT.
NP EN ISO 4753:2013 (Ed. 1)
Elementos de fixação. Extremidades de elementos com rosca exterior métrica ISO (ISO 4753:2011). Correspondência: EN ISO 4753:2011 IDT.
NP ISO 272:2013 (Ed. 1)
Elementos de fixação. Produtos hexagonais. Distâncias entre faces. Correspondência: ISO 272:1982 IDT.
NP ISO 3508:2013 (Ed. 1)
Filetes de rosca incompletos para elementos de fixação com rosca em conformidade com a ISO 261 e a ISO 262. Correspondência: ISO 3508:1976 IDT.
NP ISO 4755:2013 (Ed. 1)
Elementos de fixação. Golas para elementos com rosca exterior métrica ISO. Correspondência: ISO 4755:1983 IDT.
NP ISO 8991:2013 (Ed. 1)
Sistema de designação para elementos de fixação. Correspondência: ISO 8991:1986 IDT.

Parafusos e pernos (ICS: 21.060.10)

NP EN 20898-7:2013 (Ed. 1)
Propriedades mecânicas de elementos de fixação. Parte 7: Ensaio de torção e binários mínimos de rotura de parafusos com diâmetros nominais de rosca de 1 mm a 10 mm (ISO 898-7:1992). Correspondência: EN 20898-7:1995 IDT.
NP EN 24015:2008 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça hexagonal, parcialmente roscados. Grau B. Corpo reduzido (diâmetro do liso = diâmetro no flanco da rosca) (ISO 4015:1979). Correspondência: EN 24015:1991 IDT.
NP EN 27434:2013 (Ed. 1)
Parafusos sem cabeça com fenda e ponta troncónica (ISO 7434:1983). Correspondência: EN 27434:1992 IDT.
NP EN 27435:2013 (Ed. 1)
Parafusos sem cabeça com fenda e ponta cilíndrica rebaixada longa (ISO 7435:1983). Correspondência: EN 27435:1992 IDT.
NP EN 27436:2013 (Ed. 1)
Parafusos sem cabeça com fenda e ponta cavada (ISO 7436:1983). Correspondência: EN 27436:1992 IDT.
NP EN 28839:2013 (Ed. 1)
Propriedades mecânicas de elementos de fixação. Parafusos, pernos e porcas em metais não ferrosos (ISO 8839:1986). Correspondência: EN 28839:1991 IDT.
NP EN ISO 10510:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes com anilha plana cativa (ISO 10510:2011). Correspondência: EN ISO 10510:2011 IDT.
NP EN ISO 10642:2008 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça de embeber com oco hexagonal (ISO 10642:2004). Correspondência: EN ISO 10642:2004 IDT.
NP EN ISO 10664:2013 (Ed. 1)
Oco hexalobular para o acionamento de parafusos (ISO 10664:2005). Correspondência: EN ISO 10644:2005 IDT.
NP EN ISO 1207:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça cilíndrica com fenda. Grau A (ISO 1207:2011). Correspondência: EN ISO 1207:2011 IDT.
NP EN ISO 12474:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça cilíndrica com oco hexagonal e rosca métrica de passo fino (ISO 12474:2010). Correspondência: EN ISO 12474:2010 IDT.
NP EN ISO 14579:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça cilíndrica com oco hexalobular (ISO 14579:2011). Correspondência: EN ISO 14579:2011 IDT.
NP EN ISO 14580:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça cilíndrica baixa com oco hexalobular (ISO 14580:2011). Correspondência: EN ISO 14580:2011 IDT.
NP EN ISO 14583:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça cilíndrica boleada larga com oco hexalobular (ISO 14583:2011). Correspondência: EN ISO 14583:2011 IDT.
NP EN ISO 14584:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça de embeber boleada com oco hexalobular (ISO 14584:2011). Correspondência: EN ISO 14584:2011 IDT.
NP EN ISO 14585:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes de cabeça cilíndrica boleada larga com oco hexalobular (ISO 14585:2011). Correspondência: EN ISO 14585:2011 IDT.
NP EN ISO 14586:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes de cabeça de embeber com oco hexalobular (ISO 14586:2011). Correspondência: EN ISO 14586:2011 IDT.
NP EN ISO 14587:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes de cabeça de embeber boleada com oco hexalobular (ISO 14587:2011). Correspondência: EN ISO 14587:2011 IDT.
NP EN ISO 1479:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes de cabeça hexagonal (ISO 1479:2011). Correspondência: EN ISO 1479:2011 IDT.
NP EN ISO 1481:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes de cabeça cilíndrica larga com fenda (ISO 1481:2011). Correspondência: EN ISO 1481:2011 IDT.
NP EN ISO 1482:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes de cabeça de embeber com fenda (ISO 1482:2011). Correspondência: EN ISO 1482:2011 IDT.
NP EN ISO 1483:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes de cabeça de embeber boleada com fenda (ISO 1483:2011). Correspondência: EN ISO 1483:2011 IDT.
NP EN ISO 15065:2013 (Ed. 1)
Escareados para parafusos de cabeça de embeber com uma configuração de cabeça em conformidade com a ISO 7721 (ISO 15065:2005). Correspondência: EN ISO 15065:2005 IDT.
NP EN ISO 15330:2013 (Ed. 1)
Elementos de fixação. Ensaio de pré-carga para a deteção da fragilização por hidrogénio. Método das placas paralelas (ISO 15330:1999). Correspondência: EN ISO 15330:1999 IDT.
NP EN ISO 15481:2013 (Ed. 1)
Parafusos autoperfurantes e auto-roscantes de cabeça cilíndrica boleada larga com oco cruciforme (ISO 15481:1999). Correspondência: EN ISO 15481:1999 IDT.
NP EN ISO 15482:2013 (Ed. 1)
Parafusos autoperfurantes e auto-roscantes de cabeça de embeber com oco cruciforme (ISO 15482:1999). Correspondência: EN ISO 15482:1999 IDT.
NP EN ISO 15483:2013 (Ed. 1)
Parafusos autoperfurantes e auto-roscantes de cabeça de embeber boleada com oco cruciforme (ISO 15483:1999). Correspondência: EN ISO 15483:1999 IDT.
NP EN ISO 1580:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça cilíndrica larga com fenda. Grau A (ISO 1580:2011). Correspondência: EN ISO 1580:2011 IDT.
NP EN ISO 2009:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça de embeber com fenda. Grau A (ISO 2009:2011). Correspondência: EN ISO 2009:2011 IDT.
NP EN ISO 2010:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça de embeber boleada com fenda. Grau A (ISO 2010:2011). Correspondência: EN ISO 2010:2011 IDT.
NP EN ISO 225:2013 (Ed. 1)
Elementos de fixação. Parafusos, pernos e porcas. Símbolos e descrição de dimensões (ISO 225:2010). Correspondência: EN ISO 225:2010 IDT.
NP EN ISO 2342:2013 (Ed. 1)
Parafusos sem cabeça, com fenda, parcialmente roscados (ISO 2342:2003). Correspondência: EN ISO 2342:2003 IDT.
NP EN ISO 23429:2013 (Ed. 1)
Controlo por calibre de ocos hexagonais (ISO 23429:2004). Correspondência: EN ISO 23429:2004 IDT.
NP EN ISO 2702:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes em aço tratado termicamente. Propriedades mecânicas (ISO 2702:2011). Correspondência: EN ISO 2702:2011 IDT.
NP EN ISO 3506-1:2013 (Ed. 2)
Propriedades mecânicas de elementos de fixação em aço inoxidável resistente à corrosão. Parte 1: Parafusos e pernos (ISO 3506-1:2009). Correspondência: EN ISO 3506-1:2009 IDT.
NP EN ISO 3506-1:2013/Errata 1:2013
Propriedades mecânicas de elementos de fixação em aço inoxidável resistente à corrosão. Parte 1: Parafusos e pernos (ISO 3506-1:2009). Correspondência: EN ISO 3506-1:2009 IDT.
NP EN ISO 3506-3:2013 (Ed. 1)
Propriedades mecânicas de elementos de fixação em aço inoxidável resistente à corrosão. Parte 3: Parafusos sem cabeça e elementos de fixação similares não submetidos a tensões de tração (ISO 3506-3:2009). Correspondência: EN ISO 3506-3:2009 IDT.
NP EN ISO 3506-4:2013 (Ed. 1)
Propriedades mecânicas de elementos de fixação em aço inoxidável resistente à corrosão. Parte 4: Parafusos auto-roscantes (ISO 3506-4:2009). Correspondência: EN ISO 3506-4:2009 IDT.
NP EN ISO 4014:2013 (Ed. 2)
Parafusos de cabeça hexagonal parcialmente roscados. Graus A e B (ISO 4014:2011). Correspondência: EN ISO 4014:2011 IDT.
NP EN ISO 4016:2013 (Ed. 2)
Parafusos de cabeça hexagonal parcialmente roscados. Grau C (ISO 4016:2011). Correspondência: EN ISO 4016:2011 IDT.
NP EN ISO 4017:2013 (Ed. 2)
Parafusos de cabeça hexagonal totalmente roscados. Graus A e B (ISO 4017:2011). Correspondência: EN ISO 4017:2011 IDT.
NP EN ISO 4018:2013 (Ed. 2)
Parafusos de cabeça hexagonal totalmente roscados. Grau C (ISO 4018:2011). Correspondência: EN ISO 4018:2011 IDT.
NP EN ISO 4026:2013 (Ed. 1)
Parafusos sem cabeça com oco hexagonal e ponta plana com chanfro (ISO 4026:2003). Correspondência: EN ISO 4026:2003 IDT.
NP EN ISO 4027:2013 (Ed. 1)
Parafusos sem cabeça com oco hexagonal e ponta troncónica (ISO 4027:2003). Correspondência: EN ISO 4027:2003 IDT.
NP EN ISO 4028:2013 (Ed. 1)
Parafusos sem cabeça com oco hexagonal e ponta cilíndrica rebaixada (ISO 4028:2003). Correspondência: EN ISO 4028:2003 IDT.
NP EN ISO 4029:2013 (Ed. 1)
Parafusos sem cabeça com oco hexagonal e ponta cavada (ISO 4029:2003). Correspondência: EN ISO 4029:2003 IDT.
NP EN ISO 4759-1:2013 (Ed. 1)
Tolerâncias dos elementos de fixação. Parte 1: Parafusos, pernos e porcas. Graus A, B e C (ISO 4759-1:2000). Correspondência: EN ISO 4759-1:2000 IDT.
NP EN ISO 4762:2013 (Ed. 2)
Parafusos de cabeça cilíndrica com oco hexagonal (ISO 4762:2004). Correspondência: EN ISO 4762:2004 IDT.
NP EN ISO 4766:2013 (Ed. 1)
Parafusos sem cabeça com fenda e ponta plana com chanfro (ISO 4766:2011). Correspondência: EN ISO 4766:2011 IDT.
NP EN ISO 7045:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça cilíndrica boleada larga com oco cruciforme do tipo H ou do tipo Z. Grau A (ISO 7045:2011). Correspondência: EN ISO 7045:2011 IDT.
NP EN ISO 7046-1:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça de embeber com oco cruciforme do tipo H ou do tipo Z. Grau A. Parte 1: Parafusos em aço da classe de qualidade 4.8 (ISO 7046-1:2011). Correspondência: EN ISO 7046-1:2011 IDT.
NP EN ISO 7046-2:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça de embeber com oco cruciforme do tipo H ou do tipo Z. Grau A. Parte 2: Parafusos em aço da classe de qualidade 8.8, parafusos em aço inoxidável e parafusos em metais não ferrosos (ISO 7046-2:2011). Correspondência: EN ISO 7046-2:2011 IDT.
NP EN ISO 7047:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça de embeber boleada com oco cruciforme do tipo H ou do tipo Z. Grau A (ISO 7047:2011). Correspondência: EN ISO 7047:2011 IDT.
NP EN ISO 7048:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça cilíndrica com oco cruciforme (ISO 7048:2011). Correspondência: EN ISO 7048:2011 IDT.
NP EN ISO 7049:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes de cabeça cilíndrica boleada larga com oco cruciforme (ISO 7049:2011). Correspondência: EN ISO 7049:2011 IDT.
NP EN ISO 7050:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes de cabeça de embeber com oco cruciforme (ISO 7050:2011). Correspondência: EN ISO 7050:2011 IDT.
NP EN ISO 7051:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes de cabeça de embeber boleada com oco cruciforme (ISO 7051:2011). Correspondência: EN ISO 7051:2011 IDT.
NP EN ISO 7053:2013 (Ed. 1)
Parafusos auto-roscantes de cabeça hexagonal com aba (ISO 7053:2011). Correspondência: EN ISO 7053:2011 IDT.
NP EN ISO 7380-1:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça boleada. Parte 1: Parafusos de cabeça boleada com oco hexagonal (ISO 7380-1:2011). Correspondência: EN ISO 7380-1:2011 IDT.
NP EN ISO 7380-2:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça boleada. Parte 2: Parafusos de cabeça boleada com oco hexagonal e aba (ISO 7380-2:2011). Correspondência: EN ISO 7380-2:2011 IDT.
NP EN ISO 7721-2:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça de embeber. Parte 2: Profundidade de penetração dos ocos cruciformes (ISO 7721-2:1990). Correspondência: EN ISO 7721-2:1994 IDT.
NP EN ISO 8676:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça hexagonal totalmente roscados com rosca métrica de passo fino. Graus A e B (ISO 8676:2011). Correspondência: EN ISO 8676:2011 IDT.
NP EN ISO 8765:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça hexagonal parcialmente roscados com rosca métrica de passo fino. Graus A e B (ISO 8765:2011). Correspondência: EN ISO 8765:2011 IDT.
NP ISO 7378:2013 (Ed. 1)
Elementos de fixação. Parafusos e pernos. Furos para pino fendido e furos para arame de imobilização. Correspondência: ISO 7378:1983 IDT.
NP ISO 7379:2013 (Ed. 1)
Parafusos de centragem de cabeça cilíndrica com oco hexagonal e ponta roscada reduzida. Correspondência: ISO 7379:1983 IDT.
NP ISO 8678:2013 (Ed. 1)
Parafusos de cabeça boleada e arreigada quadrada com cabeça pequena e arreigada curta. Grau B. Correspondência: ISO 8678:1988 IDT.
NP ISO 885:2013 (Ed. 1)
Parafusos para aplicações gerais. Série métrica. Raios da concordância sob a cabeça. Correspondência: ISO 885:2000 IDT.
NP ISO 8992:2013 (Ed. 1)
Elementos de fixação. Requisitos gerais para parafusos, pernos e porcas. Correspondência: ISO 8992:2005 IDT.

Elementos de fixação - Porcas (ICS: 21.060.20)

NP EN ISO 8673:2013 (Ed. 1)
Porcas hexagonais normais (estilo 1) com rosca métrica de passo fino. Graus A e B (ISO 8673:2012). Correspondência: EN ISO 8673:2012 IDT.
NP EN ISO 8674:2013 (Ed. 1)
Porcas hexagonais altas (estilo 2) com rosca métrica de passo fino. Graus A e B (ISO 8674:2012). Correspondência: EN ISO 8674:2012 IDT.
NP EN ISO 8675:2013 (Ed. 1)
Porcas hexagonais baixas com chanfro (estilo 0) com rosca métrica de passo fino. Graus A e B (ISO 8675:2012). Correspondência: EN ISO 8675:2012 IDT.
NP ISO 10663:2013 (Ed. 1)
Porcas hexagonais com flange, estilo 2. Rosca de passo fino. Correspondência: ISO 10663:2012 IDT.
NP ISO 12125:2013 (Ed. 1)
Porcas hexagonais com flange, autoblocantes (com anel não metálico) com rosca métrica de passo fino, estilo 2. Graus A e B. Correspondência: ISO 12125:2012 IDT.
NP ISO 12126:2013 (Ed. 1)
Porcas hexagonais com flange, autoblocantes, totalmente metálicas, com rosca métrica de passo fino, estilo 2. Graus A e B. Correspondência: ISO 12126:2012 IDT.
NP ISO 4161:2013 (Ed. 1)
Porcas hexagonais com flange, estilo 2. Rosca de passo grosso. Correspondência: ISO 4161:2012 IDT.
NP ISO 7043:2013 (Ed. 1)
Porcas hexagonais com flange, autoblocantes (com anel não metálico), estilo 2. Graus A e B. Correspondência: ISO 7043:2012 IDT.
NP ISO 7044:2013 (Ed. 1)
Porcas hexagonais com flange, autoblocantes, totalmente metálicas, estilo 2. Graus A e B. Correspondência: ISO 7044:2012 IDT.

Elementos de fixação - Anilhas (ICS: 21.060.30)

NP EN ISO 7089:2008 (Ed. 1)
Anilhas planas. Série normal. Grau A (ISO 7089:2000). Correspondência: EN ISO 7089:2000 IDT.
NP EN ISO 7090:2008 (Ed. 1)
Anilhas planas, com chanfro. Série normal. Grau A (ISO 7090:2000). Correspondência: EN ISO 7090:2000 IDT.
NP EN ISO 7091:2008 (Ed. 1)
Anilhas planas. Série normal. Grau C (ISO 7091:2000). Correspondência: EN ISO 7091:2000 IDT.
NP EN ISO 7092:2008 (Ed. 1)
Anilhas planas. Série estreita. Grau A (ISO 7092:2000). Correspondência: EN ISO 7092:2000 IDT.
NP EN ISO 7093-1:2008 (Ed. 1)
Anilhas planas. Série larga. Parte 1: Grau A (ISO 7093-1:2000). Correspondência: EN ISO 7093-1:2000 IDT.
NP EN ISO 7093-2:2008 (Ed. 1)
Anilhas planas. Série larga. Parte 2: Grau C (ISO 7093-2:2000). Correspondência: EN ISO 7093-2:2000 IDT.
NP EN ISO 7094:2008 (Ed. 1)
Anilhas planas. Série muito larga. Grau C (ISO 7094:2000). Correspondência: EN ISO 7094:2000 + AC:2002 IDT.
INEGI
Universidade do Porto
CONTACTOS E LOCALIZAÇÃO
Linkedin Facebook Youtube Twitter
© INEGI 2011 | Política de Privacidade | Ver mapa do Site