Investigadores do INEGI desenvolvem sistema inovador para idosos com mobilidade reduzida

17-12-2018
Disponibilizar no mercado uma evolução tecnológica dos andarilhos e muletas convencionais, disruptiva e especialmente dirigida à população idosa com mobilidade reduzida. Esta é a principal motivação do projeto MechALife - Mechanized Assisted Life, que está a ser conduzido pelo INEGI no sentido de desenvolver um exosqueleto ativo para membros inferiores.

Pretende-se que seja capaz de apoiar não só a marcha mas também atividades do dia-a-dia, como subir escadas ou o levantar da cadeira, potenciando a independência e a vida ativa dos seus utilizadores. Exosqueletos (ou ortóteses) são estruturas de suporte criadas especialmente para auxiliar o movimento dos membros do corpo.

“Analisando o mercado percebe-se que a maioria dos exosqueletos existentes, ou ainda em desenvolvimento, são orientados para a marcha de paraplégicos, para fins industriais ou militares. Por outro lado, na maioria dos países desenvolvidos, particularmente na União Europeia, assiste-se a uma tendência crescente de envelhecimento da população, consequentemente associada à mobilidade reduzida, à vida sedentária e menos saudável, culminando nos problemas sociais e psicológicos. Uma conjuntura que nos faz acreditar que há potencial para a nossa ideia de negócio”, explica Daniel Pina, investigador do INEGI responsável pelo estudo.

Com os requisitos de força e estabilidade mais reduzidos do que nos exosqueletos industriais ou orientados a paraplégicos, uma vez que não pretende substituir a marcha ou tornar as pessoas mais fortes, o projeto MechALife serve-se de um sistema que consegue ser mais pequeno e potencialmente mais barato do que os já existentes.

“O nosso exosqueleto está desenhado para poder ser usado por baixo de roupas largas, para diminuir o constrangimento social, e é adaptável a pessoas de diferentes fisionomias. Futuramente, vamos estudar a sua aplicabilidade a vítimas de doenças neurodegenerativas e AVCs”, acrescenta o investigador do INEGI.

Atualmente a equipa do projeto MechALife está dedicada à procura de fundos de investimento que permitam avançar para uma nova etapa. Ao mesmo tempo, está ainda a ser desenvolvido o protótipo no INEGI, de modo a que se possa iniciar a fase de testes e, posteriormente, os ensaios de validação com utilizadores-alvo.

INEGI
Universidade do Porto
CONTACTOS E LOCALIZAÇÃO
Linkedin Facebook Youtube Twitter
© INEGI 2011 | Política de Privacidade